ENSINO DE PROJETO ARQUITETÔNICO COM ENFOQUE AMBIENTAL: A EXPERIÊNCIA DE UMA DISCIPLINA DE PROJETO INTEGRADO DE ARQUITETURA E CONFORTO TÉRMICO.

Amilcar José Bogo, Keila Ticyana Peixer, Daniela Koball

Resumen


Neste artigo são apresentados os resultados da aplicação de estratégias de conforto ambiental térmico na prática de ensino de projeto de arquitetura na disciplina de ateliê iv – projeto integrado de arquitetura, urbanismo e conforto ambiental térmico, da 4a fase do curso de arquitetura e urbanismo da universidade regional de blumenau – furb, em blumenau sc, brasil. Foi identificada a importância atribuída aos valores ambientais para garantir o conforto térmico interior no projeto arquitetônico residencial desenvolvido por alunos após as atividades em aula, como explicações teórico-expositivas, estudos de caso, visitas em campo, exemplos de estratégias de projeto, assessorias coletivas e individuais. Os valores ambientais priorizados para a aplicação de estratégias de conforto térmico no projeto de arquitetura foram a) adaptação à topografia; b) adaptação à vegetação local existente; c) orientação solar dos ambientes; d) controle do excesso de sol nas aberturas; e) ventilação natural; f) aproveitamento dos visuais e da paisagem natural; g) proteção contra chuva e vento para as fachadas; h) identificação da orientação solar nas fachadas. Os resultados indicaram que parte dos projetos não atribuíram a devida importância para alguns valores ambientais, como em relação à vegetação, controle do excesso de sol, ventilação natural, e erros de identificação da orientação solar nas fachadas. Os valores ambientais de adaptação à topografia, aproveitamento das visuais/paisagem, foram os de melhor resposta de projeto de arquitetura, porém não sendo os mais importantes para garantir condições de equilibro no conforto térmico residencial. Como exercício de ensino de projeto integrado de arquitetura, perceberam-se melhorias na atenção aos valores ambientais (com foco no conforto térmico) no processo de concepção de projeto, quando comparado com disciplinas isoladas de projeto de arquitetura. 


Palabras clave


ensino de projeto de arquitetura, ensino de conforto ambiental, conforto térmico.

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referencias


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR 15220- 3: Desempenho térmico de edificações – Parte 3: Zoneamento bioclimático brasileiro e estratégias de condicionamento térmico passivo para habitações de interesse social. Rio de Janeiro, 2005.

BOGO, Amilcar José. Uma Experiência de Integração Disciplinar em Trabalhos de Conclusão de Curso de Arquitetura e Urbanismo: Parecer de Conforto Ambiental no Projeto Arquitetônico. In: II Encontro Latino-Americano de Conforto no Ambiente Construído e V Encontro Nacional de Conforto no Ambiente Construído, 1999, Fortaleza CE. II Encontro Latino-Americano de Conforto no Ambiente Construído e V Encontro Nacional de Conforto no Ambiente Construído, 1999.

BOGO, Amilcar José. Clima e arquitetura em Blumenau. Blumenau: FURB, Laboratório de Conforto Ambiental, 2014.

BUTERA, Federico M. Da caverna à casa ecológica: história do conforto e da energia.1a ed. São Paulo: Nova Técnica Editorial, 2009.

CAMOUS, Roger e WATSON, Donald. El hábitat bioclimático: de la concepción a la construcción. Naucalpan: Gustavo Gili, 1986.

CROSBIE, Michael J. Green architecture: a guide to sustainable design. Rockport: Rockport Publishers, 1994.

DEL RIO, Vicente. A criatividade e os ventos dominantes na arquitetura. Dynamis: Revista tecno-científica, Blumenau, jul./set. 2000, vol. 8, no 32 - parte l, p. 87-108.

GAUZIN-MÜLLER, Dominique. Arquitectura ecológica. Barcelona: GG, 2002.

HOFFMANN, Donald. Understanding Frank Lloyd Wright’s Architecture. New York: Dover Publications Inc., 1995.

IZARD, Jean-Louis. Arquitectura bioclimática. 2a ed. México: Gustavo Gili, 1983.

JOURDA, Françoise-Hélène. Pequeno manual do projeto sustentável. São Paulo: Gustavo Gili, 2013.

KEELER, Marian e BILL, Burke. Fundamentos de edificações sustentáveis. Porto Alegre: Bookman, 2010.

LACOMBA, Ruth e FERREIRO, Héctor. Manual de arquitectura solar. México: Trillas, 1991.

MAZRIA, Edward. El libro de la energía solar pasiva. 2a ed. México, D. F.: Gustavo Gili, 1985. (Tecnologia y arquitectura). Tradução de: The passive solar energy book.

OLGYAY, Víctor. Arquitectura y clima: manual de diseño bioclimático para arquitectos y urbanistas. Barcelona: Gustavo Gili, 1998. Traducao de: Design with climate.

REYES, César; BARAONA POHL, Ethel e PIRILLO, Claudio. Arquitectura sostenible. Valencia: Pencil, 2007.

ROAF, Sue; FUENTES, Manuel e THOMAS-REES, Stephanie. Ecohouse: a casa ambientalmente sustentável. Porto Alegre: Bookman, 2010.

SANTA CATARINA. Atlas escolar de Santa Catarina. Florianópolis: SEPLAN, 1991.

SERRA, Rafael. Clima, lugar y arquitectura. [s.l]: Gala, 1989.

SNYDER, James C. e CATANESE, Anthony James. Introdução à arquitetura. Rio de Janeiro: Campus, 1984.

THE EUROPEAN COMMISSION; ARCHITECTS COUNCIL OF EUROPE e ENERGY RESEARCH GROUP. A green Vitruvius: principles and practice of sustainable architectural design. London: James E James, 1999.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2016 Hábitat Sustentable

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.

Universidad del Bío - Bío, Avda. Collao 1202, Concepción, Chile. Casilla 5-C – CP 4050231, Fono: (56-41) 311 1440, Email: rhs@ubiobio.cl